4/01/2014

Ladrões de gibis raros são presos em São Paulo


As Polícias Civil e Federal prenderam quatro membros de uma quadrilha especializada em roubos de obras de arte e de peças de colecionadores. Eles são acusados de terem roubado, 7 mil gibis raros, revistas importantes da década de 60 e de terem furtado livros e obras raras, incluindo cartas enviadas ao ex-presidente Campos Sales (1898-1902), do Centro de Ciências, Letras e Artes (CCLA), de Campinas, interior paulista. A policia conseguiu recuperar  39 quadros, que estavam na casa de um dos acusados e em um antiquário, em Piracicaba. A eles são atribuídos roubos na Pinacoteca de São Paulo, no Museu Nacional do Rio de Janeiro, na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz, em Piracicaba, e na Biblioteca Nacional do Paraná. A polícia não divulgou se foram localizadas obras do colecionador Antonio José da Silva, o Tom Zé, que no dia 16 de outubro teve parte de seus gibis e revistas roubados. Foram levados 200 primeiros exemplares de revistas dos anos 1930 e 1940, como O Lobinho e O Gibi, um lote cujo valor poderia ser estimado em R$$ 300 mil. Tom Zé é o maior colecionador de histórias em quadrinhos do País, tem mais de 200 mil revistas. Ele coleciona gibis há mais de 40 anos e mantém o acervo com recursos próprios. 

Um comentário:

Laerçon Blues Man disse...

Ao contraio da menina que roubava livro esse é o homem que roubava gibis!!! Safado!