5/04/2019

Superman foi o campeão de vendas de 2018



A Diamond Comics revelou quais foram as histórias em quadrinhos e graphic novels mais vendidas de 2018. Superman provou ser o maior super-herói de todos e a Action Comics #1000 superou todos os demais competidores, ficando no topo do ano passado.
De acordo com estimativa do Comichron, a edição #1000 da Action Comics vendeu um total de 504.243 cópias em 2018. O sucesso se deve tanto ao aniversário de 80 anos do Superman quanto ao fato de que é o primeiro trabalho do roteirista Brian Michael na DC, depois de encerrar seu contrato na Marvel.
Amazing Spider-Man #800 ficou logo atrás, em segundo lugar, com aproximadamente 439.465 cópias vendidas, enquanto Batman #50 fecha o TOP 3, com 412.541 gibis vendidos.
esta saber se a DC irá repetir o feito em 2019, ano que marca os 80 anos do Batman. A editora recentemente anunciou que irá lançar Detective Comics #1000, um especial de aniversário que conterá uma lista enorme de artistas. A edição também irá introduzir o vilão Arkham Knight, dos games, ao universo dos quadrinhos.

4/06/2019

Brinquedos de heróis se tornam negócio lucrativo


Doctor Doon



Optimus



Sentinela



Hera


O comércio de brinquedos colecionáveis tem movimentado milhões de dólares em eventos de cultura pop. A Comic-Com é um exemplo disso. Peças com tiragens limitadas, produzidas por fabricantes como Lego, Hasbro e Mattel para serem vendidas apenas durante os eventos, atraem a atenção de colecionadores e de comerciantes, que chegam a comprar os itens para revender ainda mais caros.

Uma miniatura feita pela Lego de um modelo do Batmóvel da série televisiva de 1966, estrelada por Adam West e Burt Ward, pode chegar a US$ 50. Já o carrinho do personagem Darth Vader, da série Hot Wheels da Mattel, embalada por um estojo que imita os sabres de luz da franquia "Star Wars", atinge US$ 40 facilmente. A tiragem de cada item chega a apenas 500 peças.

Nem sempre esses brinquedos são destinados a crianças. Os adultos são os que mais compram esses itens. Os fãs de franquias como "Transformers", "Star Wars", "O Senhor dos Anéis" ou "Homem de Ferro" gastam pequenas fortunas em coleções. Alguns esquecem a paixão e visam somente o lucro. Compram e esperam a valorização da peça para revender. Quem tem dinheiro sobrando, compra dois: um para si e outro para vender pelo dobro do preço. A  estátua da Mulher Maravilha na Comic-Com estava com tiragem de apenas 100 peças e esgotou em minutos. Já está valendo o triplo do preço inicial.

A empresa Side Show Collectibles, por exemplo, expôs durante a Comic-Con estátuas em tamanho natural do vilão Darth Vader ao preço de US$ 7.999. Reproduções menores do Superman de Christopher Reeve, estava por US$ 425 e o robô Optimus Prime por US$ 2.299. Enfim, arte não tem preço.





3/14/2019

Animação sobre Idade Média traz dragões, cavaleiros e castelos



Chegou ao Brasil, através do canal pago Discovery Kids, "Mike, o Cavaleiro", uma série com episódios diários. Seja um cavaleiro. Faça a coisa certa!". É com esse lema que o jovem Mike luta contra seres fantásticos no novo desenho.

Filho dos reis, Mike explora o reino dos pais com a espada em punho, enfrentando diversas batalhas contra as ameaças de vikings, trolls e outras criaturas. Em sua companhia, o cavalo Arauto e os dragões Faísca e Esguicho ajudam o cavaleiro mirim. Com imagens muito bem feitas, o desenho está arrebatando muitas crianças.

2/12/2019

Livro de Maurício de Sousa e Fábio Sombra valoriza as rimas do cordel



Valores como amizade, ética e respeito compõem o pano de fundo do divertido A Peleja do Violeiro Chico Bento com o Rabequeiro Zé Lelé. Trata-se de um projeto do escritor carioca Fábio Sombra com o cartunista paulista Mauricio de Sousa, pai da Turma da Mônica. O livro infantil narra o duelo musical entre os dois personagens do título. A disputa  é para decidir qual dos dois será capaz de colocar mais gente para dançar com seus instrumentos. Chico Bento com sua viola de dez cordas ou Zé Lelé, com a rabeca de arco e zumbido de pernilongo. Inspirada na literatura de cordel, gênero ligado à tradição oral nordestina, escrito na forma de rima e impresso em folhetos, a obra é uma homenagem ao folclore e  a cultura popular brasileira. O autor carioca conta que tinha a história esboçada quando foi apresentado ao pai da Turma da Mônica, por meio de um amigo que trabalha como roteirista nos estúdios Mauricio de Sousa. Desse primeiro contato até a impressão do livro, o trabalho do trio durou cerca de um ano para ficar pronto.


O que:
Livro: A Peleja do Violeiro Chico Bento com o Rabequeiro Zé Lelé
Autor Fábio Sombra e Mauricio de Sousa
Editora Melhoramentos
Páginas: 48
Quanto: R$ 35,00

1/14/2019

Roteirista da Mulher-Maravilha afirma que a heroína é gay





Falar sobre homossexualidade ou bissexualidade nos quadrinhos é uma coisa muito delicada. Afinal, são personagens idolatrados por milhares de pessoas. Os fãs podem não aceitar essa hipótese em seus heróis ou heroínas. Tais revelações podem representar uma perda imensa de colecionadores ou adoradores desses representantes da oitava arte.

Existem personagens da ficção que estão a caminho de se tornarem representantes LGBT e outros que já são há décadas e você nunca havia percebido, pois foram apresentados de forma sutil ou excessivamente cômica.

Greg Rucka, roteirista da Mulher-Maravilha, afirmou, em entrevista ao site Comicosity, que a personagem já se relacionou intimamente com mulheres. "Ela precisava ter feito isso”, comentou sobre o fato de a heroína ter sido criada em Themyscira, uma ilha habitada apenas por guerreiras amazonas. E tem mais: segundo Rucka, apesar do caso com Steve Trevor, a personagem só deixou seu lar porque queria conhecer o mundo.

12/09/2018

Marcelo D´salete ganha o prêmio Eisner


O paulistano Marcelo D`Salete venceu uma das categorias do Eisner, considerada a maior premiação do universo dos quadrinhos. A graphic novel “Cumbe“, lançada originalmente em 2014, ganhou como melhor edição americana de material estrangeiro.

Ao todo, Salete já publicou cinco histórias, abordando temas como violência urbana, discriminação e os problemas enfrentados pelos jovens negros. Marcelo D'Salete é um quadrinhista, ilustrador e professor brasileiro. É mestre em história da arte pela Universidade de São Paulo.

11/10/2018

Desenhos de Tintim são leiloados por R$ 1,6 milhão


Os desenhos originais do livro de banda desenhada das Aventuras de Tintim “Carvão no Porão” leiloados nos Estados Unidos, foram vendidos pela leiloeira Heritage Auctions.
O leilão realizou-se em Dallas, no Texas e foi transmitido ao vivo para a delegação europeia da leiloeira em Utrecht, na Holanda.
O comprador é um investidor de Bruxelas que não quiz se identificar e preferiu permanecer no anonimato.
As duas pranchas desenhadas à mão pelo artista belga Georges Remi, que ficou conhecido por Hergé, são de 1957 e foram publicadas em 1958. Uma a lápis (35,2 x 50 cm) e a outra a tinta china (30,7 x 47,7 centímetros). Foram leiloados por R$ 1,6 milhão.
No início desta prancha, dividida em 12 vinhetas, vê-se o Tintim, o Capitão Haddock, o seu fiel companheiro Milou e o piloto estónio Piotr Szut com uma pala preta no olho, a olhar para o mar.
Sob os seus pés, nas profundezas do oceano, um mergulhador tenta prender uma mina ao navio, antes de ser atingido por uma âncora, que o deixa inconsciente.
É raro os desenhos originais de Hergé serem colocados no mercado, porque o artista não os ofereceu, senão ocasionalmente, como presentes a amigos próximos, segundo a Heritagem Auctions.
Tintim é uma estrela incontestada dos leilões. Um desenho em tinta da china para as capas dos álbuns publicados de 1937 a 1958 foi vendido por 2,65 milhões de euros pela casa de leilões Artcurial em 2014. Um recorde mundial.